LETRAS DO TREM - AS MÚSICAS DO TREM DA ALEGRIA - DISCOGRAFIA COMENTADA DISCO POR DISCO, LETRA POR LETRA

18/07/2018

BICHINHO DE ESTIMAÇÃO

05. BICHINHO DE ESTIMAÇÃO
Compositores: Eros e Liebert

Sonhei que ia fazer aniversário
E o presente que eu queria
Era um bicho de estimação
Então saí pedindo a todo mundo
Pra mamãe, pra minha tia
Pro meu pai e até pro meu irmão

Aí chegou enfim o grande dia
Era tudo o que eu queria
Mas acabou dando confusão

(2x)
Todo mundo me deu um bichinho
Cada qual mais bonitinho
Que bagunça no salão!

(2x)
Tinha cachorro, tinha gato, tartaruga
Um porquinho, um cabrito
Tinha bicho de montão
Tinha marreco, papagaio, periquito
Coelhinho, tinha um galo
E um filhote de leão

Acho melhor eu convencer a minha mãe
Que eu gosto dos bichinhos e quero viver assim
Acho melhor eu convencer a minha mãe
A ficar com todos eles de presente para mim

COMENTÁRIOS

Música com um estilo e ritmo que casam perfeitamente com o do Trem da Alegria, "Bichinho de Estimação" trata do desejo de toda criança, que não seja doces ou brinquedos: ter um animalzinho em casa.

Esse mesmo tema já havia sido tratado anteriormente em Meu Pequeno Tommy (1985) e "Meu Pintinho" (1989).



Aliás, nessa última música eram citados diversos animais que poderiam ser adotados e as desvantagens de cada um: o cachorro morde, o gato arranha e assim por diante. Mas, dessa vez, não há contratempo algum, pois o garoto ganha diversos bichos de uma vez só em seu aniversário!

Em 1990, possuir gato e cachorro em casa era normal. Papagaio e periquito em casa não eram raros. Tartaruga e coelho um pouco mais. Marreco, porco, galo e cabrito, na cidade, era bem difícil. Leão, praticamente impossível. E todos juntos, de uma vez, como propõem os compositores Eros e Liebert, é uma hipótese que não tem nem adjetivo para qualificar.

Com o tempo surgiriam outras opções de animais de estimação mais exóticos, como porquinhos da índia, hamsters, furões, iguanas, cobras e lagartos. Até mesmo marrecos, galos e porcos aparecem de vez em quando se sentindo parte da família. Mas filhotes de leão continuam sendo companhias de raríssimas pessoas.

25/06/2018

KOIÔ SHI MASHÔ

04. KOIÔ SHI MASHÔ
Compositores: Ed Wilson e Paulo Sérgio Valle

A Liberdade é um bairro onde um dia eu fui morar
Meu Deus, nunca vi tanto japonês
Na escola uma menina não parava de me olhar
Eu vou contar a história pra vocês

Olhinhos de ameixa
Jeitinho de gueixa
E eu fazendo planos pra ganhar o seu amor
Trepei na cadeira, plantei bananeira
E ela se abaxava e só dizia arigatô

Até a professora deu um grito comigo
– Menino, sai da sala, se comporta de uma vez
O que a japonesinha fez comigo eu não digo
Mas nunca mais esqueço o que ela disse em japonês

(refrão 4x)
Anatagasiquê, é que eu gosto de você
Koiô shi mashô, sua namorada eu sou

COMENTÁRIOS

Depois de se apaixonar por uma coleguinha de classe em Pra Ver se Cola, parece que Juninho Bill mudou de bairro, de escola e de paixão.

A pretexto de introduzir o tema da cultura japonesa, os compositores fizeram menção ao bairro da Liberdade, em São Paulo, reduto das colônias asiáticas naquela cidade. Esse tipo de referência local é incomum nas músicas do Trem da Alegria, que geralmente costumam evitar regionalismos.



E já que falamos em Liberdade, a escola em que o personagem da canção estudou poderia ter sido o tradicional e extinto Colégio São José, que por mais de 120 anos esteve localizado no bairro, em um prédio hoje ocupado por uma faculdade de direito.

Essa é a primeira de três referências a culturas de outros países neste disco. As outras ocorrem em Saudades de Portugal e Can-Can. Nenhuma delas ridiculariza ou satiriza os estrangeiros, felizmente, embora se valham de alguns estereótipos para caracterizá-los.

A foto do Colégio São José foi extraída do Skyscrapercity: https://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=161544

05/05/2018

HOMEM-MORCEGO (BATMAN)

03. HOMEM-MORCEGO (BATMAN)
Compositores: Michael Sullivan e Paulo Massadas

Batman, Batman, Batman,...

Lá vai o Batmóvel, mais uma missão
Lá vai homem-morcego, nosso guardião
Na vida é preciso
Lutar por uma causa justa

Aquela velha história do bem contra o mal
E a gente torce tanto pra ver o final
Curingas que se cuidem
O nosso herói não foge à luta

(refrão 2x)
Bate mais, meu campeão
Bate mais, meu coração
Bate mais, isso eu quero ver
Bate mais, só quer vencer

COMENTÁRIOS

Mantendo a tradição inciada no álbum de 1986, com He-Man, e seguida em 1987 com Thundercats e 1989 com Jaspion-Changeman, o Trem da Alegria exaltava mais um super-herói em seu LP anual.

Dessa vez, era o Batman o homenageado, em composição de Michael Sullivan e Paulo Massadas. A letra não é das mais inspiradas, e o refrão recorre à semelhança na sonoridade entre "bate mais" e Batman.

Sem seguir à risca a cartilha, os compositores não rechearam a canção dos elementos da simbologia do personagem-tema. Batmóvel, Batcaverna, cinto de utilidades, e a galeria de vilões como Pinguim, Charada, Mulher Gato, Duas Caras e tantos outros, nada disso foi lembrado. Apenas o arqui-rival Coringa foi citado - se não fosse, seria uma falta gravíssima.

Se nos anos anteriores, os produtores se alimentaram dos personagens de sucesso da televisão, em 1989 todos aguardavam ansiosamente a estreia do novo filme do Batman no cinema, dirigido por Tim Burton, com Michael Keaton como Batman e Jack Nicholson como Coringa.

Assim, o lançamento dessa música não era por acaso. Porém, ao contrário das canções de herói anteriores do Trem da Alegria, que apenas pegavam carona em algum sucesso estabelecido com a garotada, dessa vez "Homem-Morcego" chegava às lojas de disco bem antes da estreia do filme, no vácuo da expectativa e euforia das plateias. 

A consequência disso é que o filme, sombrio e impróprio para crianças, não tinha nenhuma semelhança com o estilo da música, que se aproximava do Batman multicolorido do seriado de 1966 - esse sim, de grande apelo com os pequenos, e que em 1989 ainda era exibido na televisão, pelo SBT. 



"Homem-Morcego", aliás, faz referência direta à clássica série de TV estrelada por Adam West e Burt Ward, especificamente à música-tema e de abertura daquele programa. Incidentalmente, também traz a frase em inglês "atomic batteries to power", frase extraída do seriado, dita por Batman para Robin na partida do Batmóvel da Batcaverna (veja aqui). Não há na ficha técnica do álbum qualquer informação sobre autorização do uso desse áudio nesta faixa, nem mesmo quanto ao uso do nome Batman, que é marca registrada.

Provavelmente, nos dias de hoje, essa música não seria lançada dessa forma, sem antes algumas conversas entre advogados...

NO AR: TREM DA ALEGRIA, UMA HISTÓRIA DE SUCESSO



CLIQUE AQUI E VEJA TODOS OS VÍDEOS DO TREM DA ALEGRIA DE NOSSO CANAL NO YOUTUBE

"Um abração e muito obrigado por essa iniciativa tão bela... esse resgate tão precioso em nossas vidas!!
Muito obrigado!!!"
LUCIANO NASSYN

"Poxa, que demais esse vídeo. Gostei bastante e matei saudade. Obrigado a todos!"
JUNINHO BILL
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...